domingo, 30 de novembro de 2014

Identificação

0 comentários
O Poeta não pode apenas
cantar a primavera
quando o inverno social
castiga seu povo
***
Não tenho, pois, as
pretensões acadêmicas
artificiais
com seu lirismo de salão e seus manuais
bolorentos,
bem comportados
que somente privilegiam
o ego(ista).
Minha poesia será feita
com os pés no chão,
identificada com 'o homem',
com 'a terra',
com o social(ista).

Quem sabe não serei apenas
o poeta dos maltratados
dos indigentes
dos exilados
sociais...

O 'ecológico poeta'
dos córregos
e dos rios
assassinados
das matas
destruídas
pelo 'progresso'
reacionário.

- o poeta da fome
- o poeta solidário
- o poeta do sonho
e da liberdade.
...
O Poeta não pode apenas
cantar a primavera
(quando o inverno social
castiga seu povo).


Julio Garcia
Santiago, RS
E-mail: juliogarcia.adv@outlook.com
Blogs: http://arquipelago.blogspot.com.br/
http://jcsgarcia.blogspot.com.br/
http://o-boqueirao.blogspot.com.br/
http://deputadojuliogarciapt.blogspot.com.br/



* Para divulgar seus textos no blog da Casa do Poeta de Santiago, clique aqui. *




ATENÇÃO: A Casa do Poeta de Santiago não se responsabiliza pelo conteúdo dos artigos ou pelas ideias expressadas por estes. Os artigos publicados neste espaço são de inteira responsabilidade dos seus respectivos autores, e expressam as idéias pessoais dos mesmos.

sábado, 29 de novembro de 2014

Sobre a tranquilidade, do eu interior

0 comentários
A paixão que me envolve, submete-me subtilmente
Suave, docemente,
Ardente, coerente
Remetente, avante ao inconsciente
Consequentemente, inevitavelmente
Sofrer, presente
No teu riso, minha sinfonia
No teu olhar, forte
A morte
No teu beijo, vida
Infinda, refletida a longitude do espaço
No teu abraço, me desfaço
Esqueço o cansaço
Enlaço, permaneço
Adormeço
Esqueço, de esquecer-te
Lembro, de lembrar-te
Como melhor lembrança, como aquela dança
Como quem não se cansa, e se lança
No abismo, sem medo
No desejo da loucura
Na cura da solidão


Jeferson Silva
jefersonsilvaaa@hotmail.com
Santiago - RS




* Quer divulgar seus textos no blog da Casa do Poeta de Santiago? Clique aqui. *



ATENÇÃO: A Casa do Poeta de Santiago não se responsabiliza pelo conteúdo dos artigos ou pelas ideias expressadas por estes. Os artigos publicados neste espaço são de inteira responsabilidade dos seus respectivos autores, e expressam as ideias pessoais dos mesmos.

Lançamento do livro Anjo Sem Asa de Jason Fontella

0 comentários

As araras apaixonadas

0 comentários
Era uma vez duas araras que se odiavam muito, implicavam uma com a outra a toda a hora, mas os filhos delas, Fabiana e Rogério, estavam apaixonados. Cada dia que suas mães saíam para buscar alimentos, os filhos brincavam muito. Quando elas voltavam, os apaixonados fingiam que brigavam.
Quando cresceram, namoraram. A mãe de um deles descobriu e disse:
__Filho, você está de castigo por namorar essa arara! Vamos nos mudar de ninho e nunca mais ver ela!
__Mas, mãe, eu amo ela! Por favor, me deixa ficar com ela, ela é a minha paixão!
__Não e ponto final!
Fabiana, que estava por perto, disse:
__Por favor, deixa eu ficar com seu filho!
__Eu disse não!!!
Fabiana falou, então:
__Tchau, Rogério!
__Tchau, Fabiana... espere! Pite o seu bico para eu saber que você é você. Eu também vou pintar o meu.
As araras cresceram e tentavam se encontrar. Cada um inventava uma desculpa para a mãe para poder procurar o outro. Passaram anos tentando, sem conseguir.
Um dia Rogério voou muito alto e veio um vento muito forte, ele não conseguiu voar de medo e caiu quebrando uma das asas. Desesperado, chorou sem parar. Ele não conseguia viver sem Fabiana... Colocou uma madeira pequena em seu braço e atou tentando voar. Pulou da árvore e fechou os olhos. Conseguiu voar e quando se deu conta, estava nas nuvens.
Ele disse com muita alegria:
__Obrigado, Deus, por me fazer voar. Preciso que me ajude a encontrar Fabiana. Não tiro ela da minha cabeça, me apaixonei desde pequeno...
Um dia Rogério e Fabiana estavam voando, se cruzaram e voltaram a namorar. Tiveram lindos filhos e suas mães terminaram com a rivalidade. E as duas araras apaixonadas viveram felizes para sempre.



João Vitor Ramires
Uruguaiana, RS


* Para divulgar seus textos no blog da Casa do Poeta de Santiago, clique aqui. *




ATENÇÃO: A Casa do Poeta de Santiago não se responsabiliza pelo conteúdo dos artigos ou pelas ideias expressadas por estes. Os artigos publicados neste espaço são de inteira responsabilidade dos seus respectivos autores, e expressam as idéias pessoais dos mesmos.

Comissão da Verdade

0 comentários


Os tempos sombrios deixaram
fatídica herança
& lembranças tétricas recheadas
de dor/raiva/indignação

O arbítrio - a prepotência - a covardia

(oficializadas)

A longa & vergonhosa noite
(atordoante)

a democracia

(ultrajada)

Dor/pranto/lamento

-o horizonte cinzento

A resistência heroica
a 'guerra' desigual
travada

(O pesadelo incessante)
...

-Passar a limpo!

-as prisões/os crimes perpetrados
os choques elétricos/afogamentos/pau-de-arara/cadeira do dragão
as 'mãos amarradas' - os assassinatos

(a tortura)

sonhos abortados
gerações amordaçadas/exiladas

(a censura)

vidas/famílias destroçadas

(a Pátria enxovalhada...)
...

Muito tempo depois
das trevas
(finalmente)
brota a luz...

(tenuamente)
...

Ditadura:
urge
passar - tudo - a limpo:

           'para que não se esqueça
                    para que nunca mais aconteça'



Julio Garcia
Santiago, RS
E-mail: juliogarcia.adv@outlook.com
Blogs: http://arquipelago.blogspot.com.br/
http://jcsgarcia.blogspot.com.br/
http://o-boqueirao.blogspot.com.br/
http://deputadojuliogarciapt.blogspot.com.br/



* Para divulgar seus textos no blog da Casa do Poeta de Santiago, clique aqui. *




ATENÇÃO: A Casa do Poeta de Santiago não se responsabiliza pelo conteúdo dos artigos ou pelas ideias expressadas por estes. Os artigos publicados neste espaço são de inteira responsabilidade dos seus respectivos autores, e expressam as idéias pessoais dos mesmos.

Eu e Você

0 comentários
Eu tenho as palavras certas,
Mas você que é a inspiração.

Eu tenho o conhecimento,
Mas você que tem a luz.

Eu caminho na tua direção,
E você esta presente em tudo.

Eu mostro a verdade,
Você me aperfeiçoa.

Eu busco,
Você entende.

Eu faço o belo,
Você faz tudo divino.

Eu tenho os mistérios,
Você o Evangelho.

Eu tenho o Amor,
Você tem Deus.

Mas...

Nem eu e nem você vivemos
Sem o nós!
Apenas existimos.



Deise Marchezan
deisepintom@hotmail.com
Santiago, RS



* Para divulgar seus textos no blog da Casa do Poeta de Santiago, clique aqui. *




ATENÇÃO: A Casa do Poeta de Santiago não se responsabiliza pelo conteúdo dos artigos ou pelas ideias expressadas por estes. Os artigos publicados neste espaço são de inteira responsabilidade dos seus respectivos autores, e expressam as idéias pessoais dos mesmos.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...