terça-feira, 12 de março de 2013

Atrapalhado coração

Tocas-te meu coração, jovem senhor. Pena que ele – o coração, medroso e confuso – não posso mostrar-te.

Creio que o tenha perdido por aí – na verdade, ele fugiu de mim, admito – e recusa-se a voltar. Desejo-o de volta, mas talvez não o suficiente, aquele coração mentiroso.

Contudo, meu caro, e mesmo a distância, ele sentiu algo. Veio me dizer, pé por pé, com medo de que eu o tomasse de volta ao meu peito, que havia no senhor o que eu precisava.

Perdoai – eu gritei, esperneei, mandei o coração embora, escorraçado, desmantelado.

- Não é ele, cego coração, não és o senhor, jovem e caro. Não o amo, nem posso amar-te.
Fechei os olhos – frágil, desiludida – mais cega que o coração. Fingindo estar certa; ele errado. Cometendo mais erros do que era necessário.

Djenifer Bencke da Silva
http://seventeensecondss.wordpress.com
djeniferbs@gmail.com
Santiago, RS


Se você quiser divulgar neste espaço, envie seu seu trabalho para casadopoeta.stgo@gmail.com com os seguintes dados: nome completo; foto; blog (se tiver); e-mail para contato e cidade/estado.
 
 ATENÇÃO: A Casa do Poeta de Santiago não se responsabiliza pelo conteúdo dos artigos ou pelas ideias expressadas por estes. Os artigos publicados neste espaço são de inteira responsabilidade dos seus respectivos autores, e expressam as ideias pessoais dos mesmos.

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...