domingo, 5 de fevereiro de 2012

Não peça-me a lua

Não venha pedi-me a lua
Pois ela é ta minha quanto sua
Não venha pedi-me as estrelas
Pois estão tão longe, mal posso vê-las

Peça-me amor
Quem sabe uma flor
Tão belas são as cousas corriqueiras,
Peça-me algo tangível, não me peça asneira

Peça-me algo tangível
Ou um sentimento invisível
Te darei de qualquer maneira

Peça-me algo belo
Um sentimento sincero
Mas não peça asneira

Mário Fernando Oliveira Silva
http://moinhosdeventtos.blogspot.com
mario-desenhista@hotmail.com



Se você quiser divulgar neste espaço, envie seu seu trabalho para casadopoeta.stgo@gmail.com com os seguintes dados: nome completo; foto; blog (se tiver); e-mail para contato e cidade/estado.


ATENÇÃO: A Casa do Poeta de Santiago não se responsabiliza pelo conteúdo dos artigos ou pelas idéias expressadas por estes. Os artigos publicados neste espaço são de inteira responsabilidade dos seus respectivos autores, e expressam as idéias pessoais dos mesmos.

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...