domingo, 22 de janeiro de 2012

Coluna Quebrada

Chorei por quinze minutos, mas poderia ter chorado a noite inteira. O que me fez levantar do chão do banheiro e desligar a água muito quente que não lavava as minhas lágrimas constantes nem tampouco aquecia-me o corpo foi o teu pedido para que, ao invés de chorar, escrevesse algo para nós.

Desculpe-me se às vezes eu sou apenas uma coluna quebrada com vigas retorcidas ao invés daquele pilar que te sustenta de pé mesmo apesar do enorme peso sobre os teus ombros. Mas acho que de vez em quando eu sou mesmo muito frágil, e preciso me apoiar um pouquinho em ti para continuar andando. Não quero te fazer cair junto comigo, mas, se cairmos os dois - como tanto temos feito por tropeçar no mundo pelo caminho -, tudo bem. Eu vou me sentar, me deitar ao teu lado até a dor passar. Não importa o quanto demore ou quantas vezes isso aconteça.

Chorei e escrevi. Mais escrevi do que chorei, porque minhas palavras choraram por mim. Se, naquele momento, você pudesse estar aqui, teria certeza de que eu daria a minha vida, que morreria da pior maneira possível apenas para te abraçar. Como pode esperar que eu não sinta saudade - como, se ainda me lembro da tua mão estendida no ar, esperando pela minha?

Luciana Nogueira
http://anjoshistericos.blogspot.com
hysteric.angel@hotmail.com
Santos, SP



Se você quiser divulgar neste espaço, envie seu seu trabalho para casadopoeta.stgo@gmail.com com os seguintes dados: nome completo; foto; blog (se tiver); e-mail para contato e cidade/estado.

ATENÇÃO: A Casa do Poeta de Santiago não se responsabiliza pelo conteúdo dos artigos ou pelas idéias expressadas por estes. Os artigos publicados neste espaço são de inteira responsabilidade dos seus respectivos autores, e expressam as idéias pessoais dos mesmos.

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...