quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Amando o ilegal

Desculpe-me por te dizer
Que me apaixonei por outra pessoa.
Alguém que gosta de ilegalidades,
Que se diverte com violências.
Mas foi amor, como aquele que senti por você.

Você se tornou minha segurança
E isso não me foi saudável:
Eu nasci para cheirar à perigo.
Em suas mãos eu encontrei afeto,
Porém eu me interesso pelo sofrimento.

Desculpe-me por te dizer
Que beijei outros lábios.
Lábios Sanguinários,
Menos confiáveis que os seus,
Só que tão apetecedores
Que me deram a boa vontade de matar.

Ainda que todos procurem segurança,
Essa que você tão bem sabe dar,
Eu prefiro o risco e a dor.
Eles me fazem sentir o novo
Num tom de poder supremo,
De um jeito que só posso dizer sim.

Desculpe-me por te dizer
Que estive com alguém melhor que você.
Foi inevitável como adorei o pecado,
Como foi fácil liberar minhas obscuridades.
Eu troquei tudo que recebi
Por horas inigualáveis de prazer e alucinação.

Parti e te deixei com meu puritanismo:
Só, sem entender como pude trocar.
Trocar o confortável pelo instável.
Pelo maluco, pelo delicioso, pelo orgasmo.
Desculpe-me por te dizer
Que te usei para saber como seria desejar o errado.
Que te usei para saber como seria me libertar.

Ettore Stefani de Medeiros
http://ettorestefani.blogspot.com
Santa Maria, RS



Se você quiser divulgar neste espaço, envie seu seu trabalho para casadopoeta.stgo@gmail.com com os seguintes dados: nome completo; foto; blog (se tiver); e-mail para contato e cidade/estado.

ATENÇÃO: A Casa do Poeta de Santiago não se responsabiliza pelo conteúdo dos artigos ou pelas idéias expressadas por estes. Os artigos publicados neste espaço são de inteira responsabilidade dos seus respectivos autores, e expressam as idéias pessoais dos mesmos.

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...