terça-feira, 5 de abril de 2011

O fim

O fim, algo inesperado e ao mesmo tempo esperado
Na vida sempre há um fim para tudo,
há tantos com medo de seu fim que chega a ser engraçado,
Não entendo porque esse medo se o fim é a libertação de tudo que nos torna homens
Tão sutil a chegada dele que há pessoas nem ao mesmo percebem
Fazem tudo errado, priorizando valores não necessários
Deixam de lado a verdadeira essência da felicidade
Felicidade... quantos a perseguem a vida toda, e não entendem que
Ela não é grande, a acham complicada e a abandonam
Por coisas fúteis e nem ao menos percebem que o fizeram
Imploram a Deus por coisas boas, por felicidade, por ser amado e
Esquecem, realmente esquecem que somos nós os sujeitos de nossas vidas
Fizemos dela o que quisermos, podemos fazer com que seja inferno ou o mais glorioso vale
Depende do que valorizarmos, das coisas que realmente nos importam
E colocá-las a frente de todo o resto
Falo de amor por o próximo, confiança na bondade das pessoas
Tantos valores esquecidos, tantos ideais perdidos
E ainda falam que querem ser felizes
Complicados esses humanos, mais difícil ainda é entendê-los...

Nara Bachinski
narinha-bachinski@hotmail.com
Mata, RS


Se você quiser divulgar neste espaço, envie seu seu trabalho para casadopoeta.stgo@gmail.com com os seguintes dados: nome completo; foto; blog (se tiver); e-mail para contato e cidade/estado.

ATENÇÃO: A Casa do Poeta de Santiago não se responsabiliza pelo conteúdo dos artigos ou pelas idéias expressadas por estes. Os artigos publicados neste espaço são de inteira responsabilidade dos seus respectivos autores, e expressam as idéias pessoais dos mesmos.

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...