domingo, 20 de junho de 2010

Poema-

Quando eu zarpar, não se lamente.
Chore, mas não desperdice muitas lágrimas.
Guarde em ti, nossos risos.
Guarde pra si, nossos abraços.
Os momentos que para nós foram eternos.
Tente se lembrar do Eu te Amo.
Pense e sorria das piadas que fiz.
Os bicos que refiz!
Que contudo, continuei tola, por pouco saber.
Posso até parecer precipitada,
por ao seu lado querer parecer.
Deseje novamente, meus carinhos.
Lembre-se dos meu sorrisos espontâneos.
Lembre-se, que sou humana.
Amei, humanamente, o quanto pude.
Vivi, humanamente, enquanto pude.
Tenho pedaços de você comigo.
Deixarei pedaços meus com você.
E quando quiser me encontrar, olhe pro céu. A lua estará lá.
Procure o oculto entre as nuvens.
Procure-me dentro de ti.
Você não me verá. Só ira sentir-me...
E o simples fato de você procurar por mim, fará minh'alma mais feliz.
Viva na eternidade do ser. E se em algum desses relapsos momentos,
uma chuva fina vier a banhar teu semblante, saiba que será
meu sinal de felicidade, que carregará e levará o Amor de minha'lma,
e te dirá, discretamente:
- Eu te amo, e sempre te Amarei.

Ana Paula S. Simone
feeryca@hotmail.com

http://essenciademimesma.blogspot.com
Mongaguá,SP



Se você quiser divulgar seu trabalho neste espaço, envie um e-mail para casadopoeta.stgo@gmail.com com os seguintes dados: nome completo; foto; blog (se tiver); e-mail para contato e cidade/estado.

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...