quinta-feira, 10 de junho de 2010

Não me peça para ficar bem

Enquanto mancho minhas palavras com toda a mágoa que escapa pelos meus olhos, percebo que não sou nada perto do que posso sentir. Em momentos como esse, percebo que sou apenas um grão de areia de uma praia e que, assim como no mar, na vida não podemos - e nem conseguimos - ficar com o que não é nosso de verdade.
São coisas que palavras - bonitas ou não - não conseguem expressar, coisas que o coração não consegue suportar, coisas que a tristeza não consegue entender. Sentimentos que nenhum desabafo, nenhum grito e nenhum conselho podem aliviar.
Se for para puxar meu tapete, esmagar meu coração e fuzilar meus sonhos, eu peço apenas para que seja rápido; porque a dor é momentânea, e pode ser curada pelo tempo - por mais que demore.
Eu jamais rezo, mas hoje estou pedindo, com todas as minhas forças, para que você me deixe ir; porque cada vez que você entoa meus sonhos, eu vejo o fim de uma história que não teve começo, e seu silêncio talvez me tranquilize. Gostaria de que fosse diferente, mas ninguém além de você mesmo pode lhe salvar agora.
Quando olhar para o mar, lembre-se de quem foi afogado por suas ilusões e olhe para o horizonte pensando que poderia existir algo diferente para o futuro; mas não tente se esquecer do que ficou para trás, porque o passado não morre. Ele mata.

Luciana Nogueira
http://anjoshistericos.blogspot.com
hysteric.angel@hotmail.com
Santos, SP



Se você quiser divulgar seu trabalho neste espaço, envie um e-mail para casadopoeta.stgo@gmail.com com os seguintes dados: nome completo; foto; blog (se tiver); e-mail para contato e cidade/estado.

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...