terça-feira, 5 de julho de 2011

Deixa-me

Se nosso amor está assim,
Tão desgastado,
Os sentimentos desencontrados,
Os abraços sem sentido,
Os beijos sem o calor antigo,
Deixa-me!

Se nossos corações estão
Magoados,
Os passos desencontrados
Perdendo a cadência
Na dança do amor.
Então, deixa-me!

Se estamos vivendo
Na penumbra da indiferença,
Numa inútil convivência,
Remoendo lembranças
Do que se perdeu no passado.
Peço-te, deixa-me!

Não queiras decifrar os enigmas
De uma paixão destruída,
Não enlaces vãs esperanças
De recuperar sonhos perdidos.
Segue a lógica da vida.
Por isso, deixa-me!

Trilharás outras veredas,
Gerarás novas fantasias,
E como sonhos não acabam,
Sonharás com melhores dias,
Distante dessa comédia
Que tem sido nossa vida.
Portanto, deixa-me!

Segue teu destino,
Libera-te das algemas
Alça teu vôo,
Procura um novo caminho
E num lugar diferente,
Constrói teu novo ninho!
Vai, deixa-me!

Antonia Nery Vanti (Vyrena)
http://sonhandocomvyrena.eu5.org
vyrena@terra.com.br
Porto Alegre/RS



Se você quiser divulgar neste espaço, envie seu seu trabalho para casadopoeta.stgo@gmail.com com os seguintes dados: nome completo; foto; blog (se tiver); e-mail para contato e cidade/estado.

ATENÇÃO: A Casa do Poeta de Santiago não se responsabiliza pelo conteúdo dos artigos ou pelas idéias expressadas por estes. Os artigos publicados neste espaço são de inteira responsabilidade dos seus respectivos autores, e expressam as idéias pessoais dos mesmos.

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...